Network, 1976

Network, que foi intitulado de Rede de Intrigas e Escândalo na TV no Brasil e em Portugal, respectivamente, é um filme que foi lançado em 1976 com realização de Sidney Lumet, falecido há bem pouco tempo.

O óscar para melhor argumento original é lhe bem merecido. A incrível história de um apresentador de notícias, Howard Beale, que quando lhe chega a notícia da sua demissão por baixas audiências, descontrolado com as suas ideias, afirma veemente no noticiário que irá suicidar-se em directo num dos próximos dias. A loucura deste homem e a possibilidade de ele mostrar o quanto está revoltado com o sistema económico, a sociedade e a televisão começam nesse exacto momento. Estranho lhes parecerá que foi permitido pela administração do canal de televisão pois teve em vista as numerosas audiências e lucros. Surge então Howard como um profeta rebelde que os norte-americanos tanto esperavam ouvir.

Eis neste filme a frivolidade de uma nova geração que vem a transformar as pessoas em humanóides, máquinas económicas sem sentimentos que vivem à custa da diversão; e a oposição da velha geração conservadora nos bons valores morais e humanos. Um filme que recomendo pela lição moral que ele apresenta. Com os belos solilóquios de Howard sobre a loucura destes tempos, a putice da televisão que tudo em que toca morre e a correria injustificável dos novos tempos.

E aqui vos deixo a peculiar frase da personagem mais racional da história, Max Schumacher, velho amigo de Howard Beale.

«Toda a beleza da vida é reduzida a um escombro comum da banalidade.»

Anúncios