Frases emblemáticas opus 5, Goethe e o carácter humano

«As nossas opiniões são apenas suplementos da nossa existência e na maneira de pensar de uma pessoa pode ver-se o que lhe falta. Os indivíduos mais frívolos são os que se têm a si mesmos em grande consideração, e as pessoas de maior qualidade são apreensivas. O homem de vícios é descarado e o virtuoso é tímido. Deste modo tudo se equilibra: cada um de nós quer ser completo ou, pelo menos, quer ver-se como tal.»

 

Johann Wolfgang von Goethe in Máximas e Reflexões

Portugal – The beauty of simplicity

Como futurista, não defendo nacionalismos nem aprovo a existência de nações. Não irei justificar estas minhas ideologias que enveredam por caminhos filosóficos muito emaranhados. Mas a verdade é que existe um certo bichinho que a sociedade me transmitiu com um certo patriotismo português. E foi essa ínfima parte que me levou a dar a conhecer este vídeo aos demais.

Ele está intitulado Portugal – The beauty of simplicity e foi realizado para promover o turismo em Portugal. De autoria de Daniel Pinheiro, poderão ver mais alguns vídeos deles aqui no Vimeo.

Vejam com que injustiça os portugueses se desacreditam.

The BBC Proms – Requiem de Verdi

Caso procurem no Youtube as palavras «bbc proms» com vídeos longos (mais de 20 minutos) irão com certeza encontrar uma panóplia de concertos inteiros, alguns ultrapassando uma hora e outros com mais de duas.

The BBC Proms é um festival, digamos, em que diariamente são transmitidos pelo canal que lhe dá nome e também para todo o mundo (incluindo a Antena 2) concertos de música erudita que predominantemente são dados na Royal Albert Hall em Londres. Fundado em 1895, é realizado no Verão durante oito semanas com, como já disse, concertos diários. Ao todo, consiste em mais de 70 concertos em que os de câmara produzem-se em Cadogan Hall e há também um série de eventos educacionais para crianças; em 2009, atingiram os 100 concertos.

Por lá, têm passado os melhores maestros e as melhores obras. É, sem dúvida, o melhor festival de música erudita do mundo.

Um dos videos que me chamou à atenção é este, no qual dediquei a este artigo, o Requiem de Verdi. Com 1h34 para vos deliciar sob direção de Semyon Bychkov, este concerto é muito recente, dado a 24 de Julho deste mesmo ano.

Vale a pena gastar o nosso tempo precioso com música.

Download de Música Erudita

Para quem gosta de música erudita e gosta, por vezes, de descarregar uns cd’s que alguns sites disponibilizam sem custo, irá gostar com certeza deste artigo. Aqui deixo-vos links que vos podem fornecer vários, e quando digo vários é de uma quantidade soberba, discos de música no âmbito erudito.

§

[basta clicarem no título para abrir o site em novo separador]

P. Q. P. Bach – é um dos meus favoritos por dispôr muita obra, por ter uma boa participação do autor na descrição dos artigos e por estar em língua portuguesa. O título provem de um dos filhos infrutíferos do grande J. S. Bach. Existe também uma vertente a adicionar: não disponibiliza obras de Villas-Lobos pois um dos detentores dos direitos do compositor exigiu a retirada dos artigos ou o pagamento dos direitos. Mas contudo, a fama deste site é muita, tem música erudita a valer e recomendo a toda a gente.

CLASSICS

Eruditos – Classical Music

ahhfwww Classical

Archivos Clásicos 

musica del siglo xx – recomendo perfeitamente este site. Só com música contemporânea, ele é obrigatório para estabelecer contacto com a contemporaneidade musical. Música não é só maravilhas beethovenianas e mozartianas. Existe trabalho e arte para além disso.

Only classical

Classical Zone – ainda não tinha vasculhado bem este. E para espanto meu ele disponibiliza dvd’s e até blu-rays! Também existe uma parte dedicada a música para a mãe e para o bebé. Recomendo.

Music is the key

Download Pa Music

Classical Music Heaven – para este é necessário registar-se gratuitamente.

La discoteca clásica – a frase descritiva diz-nos tudo: Great music by forgotten composers and forgotten music by great composers. Recomendo.

Mais uma do falsário

Sentidos

blogger musical (classics & jazz)

Quartier des ArchivesEste blog está destinado a reavivar certos registos históricos de música clássica e de literatura caídas no domínio público, mais negligenciadas pelos maiores. Recomendo.

Organ music for all

NewMusicXX (canal Youtube) – não é propriamiente um site particular, mas um usuário do Youtube que disponibiliza vários vídeos com música contemporânea com as suas narrativas específicas do compositor e da obra. Pode ser visto como um dos links atrás já que existem várias ferramentas de descarregamento de vídeos como eu já disse num artigo atrás.

Peço desculpa por aqueles em que nada escrevi, mas é que eles são tantos e tão bons que nada posso mais dizer.

§

Mas não se esqueça que os artistas para permanecerem a fazer arte necessitam que lhes compre as suas interpretações ou obras e financie o seu trabalho. Dê continuidade e promova, embora de forma indireta, a arte musical.

Caso conheça mais algum ou alguns, comente e diga-nos. Eu não os conheço a todos e, pessoalmente, gostaria de conhecer mais.

O grito silencioso

Uma vez mais, um artigo que nada tem a ver com música, mas com humanismo, um dos pilares que defini para este blogue. Aviso que o conteúdo pode chocar as pessoas mais sensíveis.

Produzido por um dos maiores ex-abortistas do mundo que passou a ser uma das pessoas que mais defende a vida, o documentário revela como o aborto deve ser considerado um crime pelo feto ser uma vida humana e sentir dor. Nem direi mais palavras, deixo-vos aqui a descrição do vídeo no Youtube:

«Bernard Nathanson, em seu livro The hand of God, arrola as técnicas utilizadas para tirar a vida de seres humanos no ventre materno. Como médico, ele próprio dirigiu pessoalmente por volta de 75.000 abortos, nos Estados Unidos. Chegou a provocar o aborto de um filho seu, concebido em relação que mantivera com aluna do quinto ano da Faculdade de Medicina. Começou a repensar o assunto em 1974, percebeu que era um homicida de crianças, arrependeu-se e passou a ser, então, um defensor da vida. No oitavo capítulo de seu livro, refere-se, entre os métodos abortivos, ao sistema de aspiração, introduzido por Bykov, em 1927, e difundido no mundo inteiro, como forma de extermínio em massa de nascituros. Conta, inclusive, um episódio que acompanhou, por ultra-som, de aplicação do método da aspiração (sugar o feto), por uma equipe médica americana. No momento em que o aspirador foi introduzido no útero materno, o feto procurou desviar-se e seus batimentos cardíacos quase dobraram, quando o aparelho o encontrou. Assim que seus membros foram arrancados, sua boca abriu-se, o que deu origem ao título de um outro estudo seu: O grito silencioso.»

Este documentário fez parte da propaganda contra o aborto em Portugal, que muita gente criticou por passarem este tipo de imagens para o público. Mas a verdade custa sempre a engolir para quem defende tamanha atrocidade.

Frases emblemáticas opus 4, O presente inexistente de Blaise Pascal

Eis aqui uma citação de Blaise Pascal, famoso na matemática pelo estudo do triângulo com o seu nome, que encontrei no site Citador:

«Nunca nos detemos no momento presente. Antecipamos o futuro que nos tarda, como para lhe apressar o curso; ou evocamos o passado que nos foge, como para o deter: tão imprudentes, que andamos errando nos tempos que não são nossos, e não pensamos no único que nos pertence; e tão vãos, que pensamos naqueles que não são nada, e deixamos escapar sem reflexão o único que subsiste. É que o presente, em geral, fere-nos. Escondemo-lo à nossa vista porque nos aflige; e se nos é agradável, lamentamos vê-lo fugir. Tentamos segurá-lo pelo futuro, e pensamos em dispor as coisas que não estão na nossa mão, para um tempo a que não temos garantia alguma de chegar.
Examine cada um os seus pensamentos, e há-de encontrá-los todos ocupados no passado ou no futuro. Quase não pensamos no presente; e, se pensamos, é apenas para à luz dele dispormos o futuro. Nunca o presente é o nosso fim: o passado e o presente são meios, o fim é o futuro. Assim, nunca vivemos, mas esperamos viver; e, preparando-nos sempre para ser felizes, é inevitável que nunca o sejamos.»

Blaise Pascal, in “Pensamentos”

Frases emblemáticas opus 3 – Crónicas opus 2, Música popular

Este artigo tem duas categorias porque é uma mistura das duas. A discussão entre minha pessoa e o sr. Leonardo Oliveira, um dos autores do blogue sobre música erudita Euterpe, instalou-se quando eu critiquei Schoenberg no artigo sobre a quinta sinfonia de Shostakovich. A conversa desenrolou-se via e-mail e cheguei a pedir-lhe opinião sobre a música popular industrial, a música popular que a maior parte das rádios reproduz. Eis que uma frase saiu das palavras do Leonardo que a meu ver é excelente e trata de uma forma resumidíssima o que se passa na nosso sociedade e no âmbito sonoro:

 «Sobre a música popular industrial, acredito sinceramente que seja uma adequação à sócio-economia atual de algo que sempre existiu: música despretensiosa e de consumo. Não vejo como fim dos tempos, mas como o modo do nosso tempo de marcar algo que sempre existiu, que é a mediocridade encontrando o espaço do menor esforço pra existir.»

Achei-a oportuna para partilhar com os leitores e adiciono dois links recomendados pelo Leonardo que referem a música popular. Apesar de eu ainda ver músicos do âmbito erudito a gostarem desse golpe sonoro populista e comercial, acho que é altura de esses e outros muitos abrirem os olhos. Os links são:

http://euterpe.blog.br/musica-e-cultura/musica-classica-um-genero-um-estilo-uma-prateleira-de-cds

http://euterpe.blog.br/filosofia-da-musica/musica-classica-o-conteudo-da-tecnica